quinta-feira, 25 de setembro de 2014

"Deixe a neve cair" vai virar filme!

Postado por Alícia Guimarães às 23:29 0 comentários

"Deixe a neve cair" vai virar filme!


Parece que 2014 é o ano do autor John Green! Há poucos meses desde a adaptação do livro "A Culpa é das Estrelas" para as telinhas, o mês de estréia de "Cidades de Papel" agendado para 19 de julho de 2015, "Quem é Você, Alasca?" também será exibido nos cinemas e, a notícia mais quente que temos é que "Deixe a Neve Cair" será mais um filme reproduzido nos cinemas internacionais! É... A notícia deixou muita gente contente! Inclusive eu, que sou apaixonada pelos contos do livro.

O autor postou em seu Twitter na tarde da última Sexta-Feira (19) que está animado, pois os direitos para a adaptação cinematográficas da obra foram comprados pela Universal, os produtores escolhidos são os mesmos de "Amor e outras drogas" e "Planeta dos Macacos", ou seja, podemos esperar efeitos pirotécnicos avançados e incríveis aventuras nesta ficção!

 Além do John, duas outras duas maravilhosas escritoras terão a sorte de verem os seus contos exibidos nos cinemas. Maureen Johnson e Lauren Myracle realmente têm muita sorte! (E muito talento, também, vale lembrar!), quem nunca leu nenhuma obra das autoras, fica aqui a minha indicação. Vale muito a pena! A Maureen não escondeu que já sabia disso há meses, e estava muito ansiosa para compartilhar o segredo, e que segredo, hein, Johnson?!

Para quem ainda não leu o livro, não vou dar spoilers, porém posso dizer que os contos são maravilhosos e super divertidos. Eu me apaixonei pelo Stuart desde a primeira aparição dele no livro, é sério! Posso dizer também que a história se passa durante uma tempestade de neve no Natal americano. Quem estiver curioso para saber mais sobre os contos, veja a minha resenha aqui, no finalzinho da página.

Confesso que fiquei muito feliz quando soube, adorei "A Culpa é das Estrelas" e tenho certeza de que os diretores irão arrasar nas produções dos outros filmes. Principalmente "Deixe a Neve Cair", que de todos os livros do Green, este é de longe o meu favorito, apesar de não ter sido escrito só por ele e por ter como conto favorito: O Expresso Jubileu, de Maureen Johnson. 

E aí? Você gostou na notícia de adaptação do livro para os filmes?! Eu já estou guardando meu lugar na fila!
Beijos,

Alícia.

domingo, 21 de setembro de 2014

Sobre as flores

Postado por Alícia Guimarães às 13:30 0 comentários

Sobre as flores


Obaaaaa! A minha estação favorita do ano chegou! PRIMAVERA! O mês de Setembro é o meu terceiro mês favorito do ano por três razões:

1. É o mês 9, e o nove é o meu número da sorte. (Sim, eu tenho essas besteiras!)
2. Geralmente, é o mês que sei qual será minha próxima viagem. E viajar é uma das coisas que eu mais amo fazer na vida!
3. É o início da primavera!

Eu não sou nada romântica, mas as flores me trazem um sentimento de paz muito grande. Pode até parecer careta, mas eu gosto do cheiro. É um aroma delicioso de natureza! Além da beleza delas, que é algo realmente incrível! Acho lindo quando a gente chega num jardim, e ele está todo florido, com as flores brotando, nascendo e renascendo por completo... Eu me sinto renascida também. 

Rua em Campos do Jordão/SP
Não é a toa que não me canso de ir a Campos do Jordão. A cidade é repleta de hortênsias! E essas flores são definitivamente as mais lindas que já vi. Sempre vou em novembro, fico encantada com tanta beleza. As praças ficam dignas de filmes de romance francês. E parece que o friozinho nunca abandona a cidade. Andar de gorro, luvas e casaco numa rua repleta de flores é uma das melhores sensações do mundo! Só de escrever, já fico morrendo de saudades ♥




Eu gosto tanto da sensação que as flores me causam que em Janeiro deste ano realizei um de meus maiores sonhos: conhecer Gramado. Apesar de já ser verão, as hortênsias continuaram lá! Me apaixonei pelo Lago Negro assim que cheguei. Para falar a verdade, eu não estava esperando muito do passeio, mas aí vi que todas as indicações valeram à pena. Amei! 
Lago Negro - Gramado/RS
Enfim, é isso, pessoal. São por estes e outros motivos que eu adoro a Primavera. Deitar numa grama florida e ouvir o canto dos pássaros num lugar que você possa sentir-se à vontade, consiga relaxar e admirar toda a natureza... Não tem preço, e com certeza é a sensação mais maravilhosa que todo o ser humano deveria sentir na vida! ♥

Bem-vinda, Primavera!

Beijos,

Alícia.

sábado, 6 de setembro de 2014

Eu me mordo de ciúmes!

Postado por Alícia Guimarães às 22:33 0 comentários

Eu me mordo de ciúmes!


Gente, estou muuuuuuito feliz, sério! Ganhei a promoção do kit das "As MAIS 2 - Eu me mordo de ciúmes" da Patrícia Barboza! Bem, o concurso consistia em responder a seguinte pergunta:

Qual foi a sua pior reação quando ficou com ciúme por algo que viu na internet ou redes sociais?
Pois é. Eu ganhei! Haha, fiquei muito feliz com o resultado. Isso porque um mês antes da promoção ser divulgada, eu estava extremamente triste, pois não ia ao lançamento do livro no Rio e nem iria vê-la na Bienal. Minha mãe sabe o quanto a estressei para que conseguíssemos ir, ou pelo menos, que alguém da nossa família (residente no Rio) fosse pegar o bendito autógrafo para mim! Enchi o saco mesmo! De tooooodo mundo! Resultado: ninguém foi na Saraiva pegar o autógrafo, e disseram que não dava para ir na Bienal! 

O mais incrível de tudo é que logo em seguida, a Pati lançou a promoção, e eu achei o máximo! Sou ciumenta e quero esse autógrafo mais que tudo. O que fiz? Desenterrei um mico relacionado ao meu ciúme e enviei! No dia 10 de agosto, a autora me mandou uma inbox no Facebook dizendo que eu era a vencedora. 

Resumindo tudo, o kit chegou 10 dias depois pelo Correio. Gritei tanto quando recebi que até os meus avós ficaram preocupados! Infelizmente eu não vi chegar, pois estava no dentista removendo meu aparelho (tinha que dizer isso, desculpem!), mas quando cheguei em casa e vi o pacote em cima da mesa da sala... Ahhhhhhhh! Enfim, quero agradecer a Patrícia, por ter lido a minha história ridícula de ciúmes que até hoje eu sinto vontade de enfiar minha cabeça num buraco quando lembro e ter escolhido ela!

Agora, só falta ir ao Rio de Janeiro dá um super abraço na Pati, tirar uma selfie, gravar um vídeo e dizer o quanto ela me inspira! Ah, e tá vendo pessoal que não quis pegar o autógrafo dela para mim aí Rio? Eu consegui de todo jeito, e olhem, consegui até mais! Hehehehe



Como eu mesma citei no meu livro: "Quando as coisas tem que acontecer, por mais impossível que pareça, elas simplesmente acontecem..."

Beijo grande,

Alícia.

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Lapso

Postado por Alícia Guimarães às 19:45 0 comentários

Lapso


"E ela estava lá de novo, insistindo no mesmo erro, nas mesmas escolhas, sabendo que o final não é o melhor, não era o fim que ela esperava para si. E lá estava ela de novo, seguindo o mesmo caminho, andando pelos mesmos lugares, ela sabia que não chegaria a lugar nenhum. Ela não pensava sobre o que iria lhe fazer melhor, ela só queria sentir tudo de novo, inclusive aquela lágrima derramada por alguma decepção, consequência de tudo o que fez, de tudo que está fazendo.

Ela estava insistindo novamente. Mais uma vez. A esperança que tinha era maior do que a vontade de desistir. Ela ainda acreditava que podia vencer. Era óbvio que nada mudaria. Ele não mudaria. Nada muda se a gente não para de clicar na mesma tecla. Mas ela ainda acreditava, ainda tinha esperanças de sentir tudo de novo. Talvez estivesse certa, é difícil desistir de tudo aquilo que já nos fez sorrir. Muitas vezes, vale a pena continuar errando, só pra ter de novo os seus cinco minutos de felicidade.

As coisas eram iguais, e era exatamente por isso que ela persistia pela milésima vez no mesmo erro. Na cabeça dela, era melhor sofrer de novo as mesmas mágoas, as mesmas tristezas, as mesmas decepções. Aquilo incluiria ter você. Ela não mediria esforços para que isso fosse possível. Por pelo menos mais uma vez."

(Alícia Guimarães)

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Anacrônico

Postado por Alícia Guimarães às 17:04 0 comentários

Anacrônico


"Estou de salto. Passei maquiagem e até coloquei aquele vestido que você elogiou uma vez. Desobedeci meus pais. Deixei de lado minha última promessa. Quebrei meu cofre. Olhei no espelho antes de pegar a chave, e vi no reflexo o quanto mesmo depois de tanto tempo, você ainda me fazia ficar parecendo uma boba.
Desci as escadas e lá estava você. Vestindo a blusa que dei de aniversário em 2008. Exatamente com o mesmo sorriso que deixei. Caminhamos alguns minutos por aquela rua meio deserta que fica perto aqui de casa. Lembrei de todas as vezes que ficamos sentados ali na calçada conversando. Que saudade da sua voz. Que saudade do seu perfume no ar misturado com o meu.
Falamos de trabalho. Faculdade. Da viagem. Das suas garotas e dos meus novos amigos gays. Minha vontade era de calar sua boca, porque cara, ouvir sobre seu presente e lembrar que fiquei no passado era uma droga. Mas você gosta de mostrar o quanto sua vida mudou. Tudo bem. Eu aguento. Mais alguns passos. Mais algumas risadas. Chegamos.
Sabia que sair naquela sexta não era uma boa ideia. A cada coisa que dava errado enquanto eu aprontava, tipo achar meu sapato e o secador, tinha mais certeza disso. Mas eu sou teimosa e nem ligo pra essas coisas. Iria até de pijama. Não pense que pirei. Eu só precisava saber até onde eu ainda iria por você.
Aquela multidão me fazia querer te abraçar. Eu odeio multidões e música alta. Mas eu amo você. Poderia jurar então que não estava tocando funk. Jurar que as pessoas ao nosso redor nem existiam. Eu só tinha olhos para os seus olhos. Como eles brilhavam. E eu sentia que um terremoto estava prestes a acontecer toda vez que você chegava mais perto. Diz no ouvido. Não tô ouvindo. Diz com a boca, mas diz na minha, porque é assim que vou entender tudo de mais importante que você tem à dizer.
Uma bebida. Sua barba. Luzes piscando. O xadrez da sua blusa. Roda gigante. Seus olhos. Alargador. Mãos na cintura. Poeira levantada. Sua boca. Minha boca. Nossa respiração. Foi.
Mesmo tendo vivido tanta coisa longe um do outro, algo ainda me conectava em você. Eu nem precisava contar nada. Sabíamos só de olhar. Independente das outras mensagens da caixa de entrada. Independente de onde estaríamos no próximo final de semana.
Lembro que você me perguntou como seria depois e eu chorei. Você levantou meu rosto com os dedos e perguntou porque eu estava triste. Eu te olhei e respondi que não era tristeza. Era alívio. Por saber que ainda existe alguma coisa no mundo que faz meu corpo tremer.
Nos abraçamos e ficamos conversando o resto da noite. Até você me deixar na porta de casa. Até eu te perder de vista na esquina. Deitei na cama do mesmo jeito que cheguei. Bati porta, ignorei broncas e deixei a luz apagada. Fico imaginando como seria voltar no tempo. Como se isso fosse mudar alguma coisa. Colocar a culpa no destino parece tão fácil quando o que falta mesmo na gente é coragem. Mas tudo bem. Em algum momento eu me perderia daqueles pensamentos e dormiria. No outro dia tudo fica menos complicado. Não é assim? Pra gente não.
Antigas lembranças nos levam para antigos lugares. Antigos lugares nos levam para antigas escolhas. Dúvidas são sempre uma merda.
Sabe aquela maldita sensação que fica quando um filme de comédia romântica acaba? Aquela que vem depois do "felizes para sempre". The End. É exatamente assim que me sinto toda vez que a gente se vê. Sei que é pra sempre, mas sei também que mesmo assim, acabou."
Esta crônica foi escrita pela autora Bruna Vieira, extraída do livro "Depois dos Quinze".
Suuuuuuuuper indico o livro, de verdade mesmo. Você vai se derreter no começo ao fim <3
Beijos,
Alícia.

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Olá, Setembro!

Postado por Alícia Guimarães às 16:18 0 comentários

Olá, Setembro!


Agosto chegou ao fim. Mas, a minha ansiedade só está aumentando. Quem acompanha meu blog, me segue no Facebook e até mesmo na minha vida pessoal, sabe que o meu livro está prestes a ser lançado. E está chegando! Cada dia mais se aproxima de Novembro/Dezembro. Não preciso dizer que já estou torcendo para que setembro voe, não é? Mal posso esperar para ter "O mundo mágico de Rachel" em mãos. Meus amigos sabem quanto eu sofri para conseguir publicá-lo. Não é fácil passar horas digitalizando um texto, colocando espaçamento, número de linhas e toda uma estrutura pedida pelas editoras. No final das contas, todo o trabalho valeu a pena. Recebi sete propostas de edição! Sim, SETE! Pude escolher a leque uma editora do meu agrado.

Claro que virei noites pesquisando sobre cada uma delas, os trabalhos e obras publicadas, cheguei à conclusão de que a Giostri Editora é a melhor. É claro que no começo fiquei nervosa, preocupada, encanada... Porém, quando o processo de publicação começou, vi que tinha acertado em cheio! A equipe é maravilhosa, principalmente a Denise. Gente, ela é um amor de pessoa! O Alex também é um máximo! É tão bom poder contar com pessoas assim. Além de compreensivas, são gentis e profissionais. Estou amando!

Por estes e outros motivos que estou ansiosa porque chegou setembro, e mais ansiosa ainda para que ele acabe. 

Em agosto houve a voltas às aulas, nada de novidade, a não ser o meu livro. Foi um mês relativamente interessante para mim... Uma vez eu estava andando no corredor do colégio, quando me param e falam: "Ah, você é a menina que está escrevendo um livro?", foi a coisa mais estranha que já me aconteceu. Isso na segunda semana de volta às aulas. No final descobri que uma das minhas amigas tinha contado para aquela pessoa. Já ouvi vários: "Quero ir no lançamento!", haha. É interessante. 

Ah, sim. No fim do mês, recebi uma mensagem no Instagram de uma menina que também é escritora, dizendo que tinha amado meu blog. Então, Mariela, se você estiver lendo isso... Um beijo! Eu fiquei muito, mas muito feliz MESMO quando soube que meu blog está sendo lido por uma pessoa como você! Um beijo enorme para Minas, espero que um dia nós possamos nos encontrar e divulgar nossos livros juntas :)

Enfim, pessoal, é isso. Peguei um livro para ler hoje e me inspirei nele. A partir de agora postarei "Contos" feitos por mim. Comecei minha "carreira" assim, escrevendo textos para o vento. Acho que é a hora de voltar a fazer isso. Espero que gostem!

Desejo um mês de setembro recheado de coisas boas, realizações, felicidade e que aconteça tudo o que não aconteceu em agosto! Vale lembrar que setembro é o meu 3º mês favorito no ano (atrás somente de maio e novembro), pois é o mês 9 e adivinha qual o meu número favorito? 9! Haha

Feliz Setembro!

Um beijo,
Alícia.
 

Letras&Cupcakes Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos