sexta-feira, 25 de março de 2016

Mudanças

Postado por Alícia Guimarães às 11:53

Mudanças

Imagem de heart, sea, and summer

É de lei: tudo muda. Os seus gostos mudam, as pessoas mudam, você muda, talvez de endereço, mas como também de personalidade. Ninguém é obrigado a ser assim pra sempre. A verdade é que toda mudança é necessária. Eu tinha onze anos quando fiz a minha primeira mudança. Comecei a escrever uma história e, diferente das outras, queria mostrá-la para as pessoas. Deu certo. Fui lida, reconhecida e a escritora de web-novelas mais nova do antigo site. Minha segunda mudança não foi boa. Pelo menos, não na hora. Eu troquei de escola e aquilo pareceu ser o fim do mundo. Mas, pessoas que eu nem sabia da existência, entraram na minha vida e eu pude notar como sair de uma rotina para entrar em outra era realmente imprescindível. O meu primeiro crush (desses que a gente acha que é o amor eterno), eu deveria ter uns treze anos. Moleca, pirralha e sem saber de nada da vida, encarei a situação como uma mudança ruim, porque eu não queria lidar com aquilo. O tempo foi passando e as coisas foram mudando também. A pessoa que a gente acha que nunca vai esquecer, é sempre a memória mais engraçada que você tem. De lá pra cá, tantos crushes, tantos "amores da vida", tantos novos amigos, tantas novas pessoas. A única certeza que você tem é que as coisas vão mudar.

Eu devo ter mudado de estilo de roupa, pelo menos, umas três vezes até hoje. Eu fazia o estilo romântica, depois fui para o estilo rockeira (sem nunca ter escutado um rock pesado, vale lembrar) e depois vim para o estilo... Bem, ainda não descobri o meu estilo de agora, mas, provavelmente daqueles que curtem herois e filmes de ação. Mudei tanto de cabelo que talvez eu nunca vá achar uma foto minha com o mesmo cabelo em um único ano. Comecei com meu cacheado 3B, depois enjoei. Fui para as tranças, mas, enjoei também. Decidi ser alisada. Passei dois anos com o cabelo enorme e, quem diria, cortei. Algum tempo depois, quis ser loira. Enjoei meses depois e já não sabia mais o que eu queria. Decidi deixar a raiz lisa e as pontas cacheadas. Haja BaByliss!!! Hoje, eu já voltei ao início da história. Mas, agora e, por enquanto, com um cabelo cacheado 3C. Porém, eu já quero mudar de novo. Daqui a alguns meses, pelo menos na minha cabeça, eu vou fazer um super corte, deixá-lo natural de novo e sei lá, virar ruiva acobreada. 

Todo mundo muda. Você provavelmente não deve ter o mesmo estilo que tinha há cinco anos, por exemplo. Imagina há dez... Ah, tem outro caso também. Quando a mudança é de endereço. Você chega no bairro/cidade/estado/país novo e acha que nunca vai se acostumar. Você se lembra dos amigos e, a única coisa que deseja, é poder convencer quem quer que seja de  voltar. Mas, meu caro, voltar é sempre a pior opção. Para que a gente cresça, tem que haver mudança. Daqui a pouco você vai estar no lugar, que agora nem é mais tão novo assim, se perguntando o porquê de não ter nascido ali. É sempre assim. Nem todo mundo gosta de mudança, mas ela é sempre necessária. Elas fazem a gente enxergar o mundo de formas diferentes, fazem a gente pensar que nem sempre a melhor opção é ficar na mesma. Mude. Nem que seja de lado da cama, mas mude. Você mesmo no futuro vai agradecer a si próprio do passado.

Beijinhos,
Alícia Guimarães

0 comentários:

Postar um comentário

 

Letras&Cupcakes Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos